PUBLICIDADE
Referências em turismo, cachoeiras e balneários serão fechados em Canaã dos Carajás
11/11/2021 11:59 em Lazer

“Infelizmente não poderemos ficar. Gostaríamos muito, pois tínhamos projetos para o verão. Mas nosso balneário está dentro do parque.”

A frase é da proprietária de um balneário localizado na região da Vila Jerusalém, zona rural de Canaã dos Carajás. Ela lamenta o fato de que a sua propriedade, local em que investiu dinheiro, tempo e sonhos, será fechado muito em breve. Tudo porque, como parte de condicionantes ambientais para a implantação do Projeto S11D, o Parque Nacional dos Campos Ferruginosos foi criado. Por conta disso, a Vale precisou desapropriar áreas na região e, para tanto, indenizou proprietários.

Ao todo, 25 grandes propriedades, de um total de 30, já foram desapropriadas e seus proprietários, indenizados. Quanto às pequenas propriedades, 97, de um total de 105, já foram desapropriadas; seus proprietários, também foram indenizados.

Para a criação de um parque com tamanha magnitude, o município vai precisar fazer sacrifícios. Um deles, é abrir mão de importantes centros de lazer, como a Cachoeira do Goiano e o Balneário da Serra. Uma alternativa à mineração, o turismo em Canaã é aquecido pelas cachoeiras e, também, pelos investimentos que seus proprietários têm feito nos últimos anos.

 

A Cachoeira do Goiano, por exemplo, atrai cerca de 300 visitantes todos os meses. Todos pagam pela entrada e consomem bebidas, comidas e muito mais, o que ajuda a movimentar a economia em Canaã. Obrigado a vender a sua terra, o proprietário da cachoeira, o senhor Rosivânio, acredita que vai precisar ir embora daqui “Eu gostaria muito de ficar, mas o valor que me pagaram não dá pra comprar outra terra na região de Canaã dos Carajás.”

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE